Fortalecendo relações com o tempo!


 Oi, gente! Tudo bem?!

Como contei no texto “Conexões  que inspiram”, depois da minha experiência na Semana da Engenharia comecei a pensar no tempo de uma forma diferente e, incrivelmente, a partir de então vivi alguns momentos, que eu diria, só o tempo pode explicar!

 

 Do clássico estar no lugar certo, na hora certa, com a pessoa certa,   à saudade do tempo com minha família; da inquietude e vontade de saber o que viria no futuro, à surpresa que acalma e mostra que tudo tem seu tempo e sua hora para acontecer... uma sucessão de acontecimentos que foram fortalecendo minha relação com o tempo.

Em setembro de 2016 eu chegava a Milão, onde  ficaria por três meses fazendo cursos no Istituto di Moda Burgo (IMB). 

Já com a ideia de  uma marca voltada para a dança,  me inscrevi em cursos de especialização em modelagem e desenho, ambos direcionados para o desenvolvimento de body/collant. 

Apesar de no primeiro semestre daquele mesmo ano não ter tido êxito nos contatos que mantive com várias universidades, na intenção de conseguir uma bolsa para mestrado, eu estava muito muito feliz com a oportunidade de estar em Milão e adorando os cursos que estava fazendo... o IMB tem uma metodologia de ensino bem legal, direcionada às necessidades individuais de cada aluno, então o curso flui no ritmo de cada um e o aproveitamento é ótimo.

Após um mês de curso, recebi um e-mail da HFFA,  uma das instituições anteriormente contactadas,  informando sobre a disponibilidade de algumas bolsas de estudo para mestrado e orientando sobre a documentação necessária para análise de perfil, que envolvia, além de documentos pessoais e acadêmicos, cartas de apresentação e portfólio .

Respondi o e-mail informando que estava em Milão e logo em seguida fui convidada para uma entrevista presencial.  

Data e horário agendados e lá fui eu... sem os documentos exigidos  e sem portfólio! Ansiosa por aquele momento, cheguei  e fui super bem recebida pelo Diretor, que foi bem objetivo, pedindo que eu me apresentasse. Com muita sinceridade e verdade, contei para ele o que eu achava relevante, naquele momento, sobre a minha relação com a moda e também com a dança, sobre minha expectativa e, como não tinha portfólio, mostrei pelo celular alguns trabalhos que tinha  feito  durante a graduação.

 Quando terminei, ele apenas me perguntou como poderia me ajudar. Surpreendida com aquela pergunta tão direta,  respondi,  de forma bem direta também, que queria muito uma bolsa para o mestrado  e que precisaria ser integral. 

E assim aconteceu...  ele me explicou a parte  burocrática do processo  e saí de lá com a Carta da bolsa integral na mão  e muitas lágrimas. Até hoje, quando lembro daquele  dia, sinto algo que não consigo explicar...  como se a minha história já estivesse escrita e que o principal motivo de eu estar em Milão fosse aquele!

Fiquei muuuito feliz,  havia conseguido o que eu tanto buscava... compartilhei a minha alegria, curti aquele momento, mas sabia das  mudanças e das renúncias que estariam por vir e isso, de uma certa forma, me deixou até um pouco assustada... foi tudo muito insperado e rápido, me programei para uma viagem de três meses e  de repente deveria ficar mais um ano.

 Precisava  providenciar a documentação para a matrícula, que  incluía uma vinda ao Brasil para obtenção do visto de estudante, além de concluir os cursos do IMB e logo constatei que, por um mês, haveria conflito de horários com o mestrado.

Pensava em  tantas coisas naquele momento, inclusive uma, em especial, apertava o meu coração... minha irmã  estava grávida e  o tão sonhado sobrinho  nasceria e eu não estaria presente! 

Mas, aos poucos,  fui processando a novidade e passados alguns dias eu já me sentia mais tranquila e segura de que queria ir em frente,  disposta e animada para resolver todas as pendências e  viver aquela experiência.

O curso escolhido  para o mestrado foi o de Direção de Arte para Moda e Alta Costura, com uma grade  super interessante, de aulas teóricas e práticas, envolvendo bordado, modelagem, costura, entre outras disciplinas, incluindo também o desenvolvimento de uma coleção para desfilar na Semana de Moda de Milão, algo inexplicável e inesquecível!    

                        

       

                       

 Hoje posso dizer que, sem dúvida, foi uma experiência incrível; o curso era intensivo, com alto nível de exigência e de dedicação total, mas não nego que, no início, em alguns momentos, cheguei a pensar em desistir... 

Eu estava acostumada a pensar em moda voltada para a  realidade do que eu tinha  vivenciado até então  e como o curso era direcionado para o mercado de luxo, precisei me aprofundar  em assuntos desse universo em  seus mais variados segmentos, que envolviam de iates, jatinhos, spas, hotéis, viagens, joias, restaurantes  a  recepções em castelos, eventos do red carpet, vestidos de  princesas, rainhas, baronesas e  celebridades... inicialmente me questionava sobre a aplicação de tudo aquilo quando retornasse ao Brasil , mas conhecer essas referências era fundamental para o tipo de projeto que seria desenvolvido durante o curso e quanto mais eu pesquisava, mais sentia que a minha mente se abria para  novas possibilidades.

Aos poucos fui entendendo a importância daquele estudo, independente do contexto de atuação no futuro, as dificuldades do dia a dia  foram me fortalecendo e, com certeza, foi uma experiência que jamais vou esquecer,  por tudo que vivi, senti e aprendi.

                         

Voltei para o Brasil no final  de julho de 2017 e na  expectativa de me inserir no mercado de trabalho, encaminhei  currículo e portfólio para algumas empresas que estavam contratando estilistas. Dentre todos os e-mail enviados, apenas um foi  para  o ES. Certo dia, lendo uma matéria no jornal sobre o projeto de expansão da Le Infance - empresa com sede em Vila Velha/ES, voltada para o mercado infantil de luxo - me identifiquei com a proposta da marca e vi que poderia ser uma oportunidade para compartilhar os conhecimentos que trouxe do mestrado. Imediatamente encaminhei e-mail  me apresentando.

O tempo  foi passando e nada, algumas marcas nem respondiam... apesar de ter vivido experiências legais como estudante eu tinha pouquíssima experiência de mercado, e para a maioria das vagas exigia-se, em média, dois anos de experiência. 

A incerteza de saber quanto tempo aquela  busca duraria me angustiava. 

Dois meses se passaram, o que,  na época, parecia uma eternidade para mim... 

A LABÈ já estava na minha cabeça... voltei de Milão com uma coleção no papel, mas não era suficiente,  desejava passar por uma experiência “intermediária” antes de assumir o risco e a responsabilidade de ter meu próprio negócio. 

Entre o sonho e o medo, um dia acordei determinada a encarar o desafio e fazer meu sonho acontecer. Reuni tudo o que já tinha e quando sentei ao lado da impressora para imprimir alguns desenhos, meu celular tocou: era a Samira,  da Le Infance, da matéria do jornal! Mais uma vez bateu a sensação de que não podemos controlar o tempo em que as coisas acontecem na vida. 

Entrevista marcada para o dia seguinte, fui confiante e saí de lá contratada. Comecei atuando no suporte para mídias sociais e após um mês já me realizava  trabalhando como estilista, e o mais incrível, vestindo princesas! Na Le  Infance eu pude resgatar minhas memórias de criança, me conectar ao passado e sentir que, mesmo com o passar do tempo, ainda sonho como criança. 

E foi assim que, depois de quase dois anos realizando sonhos de princesas, parei para enxergar que também precisava e podia realizar os meus... era hora de dar vida à LABÈ!

...

De toda essa história, a mensagem e reflexão que gostaria de deixar poderia se resumir na legenda que dei a uma foto que tirei no Chile, em abril deste ano, quando me vi no alto de uma montanha com um caminho atrás... achei a foto um tanto poética e me inspirou a dizer que 

olhar para trás e contemplar nossa própria estrada nos faz enxergar a grandeza que existe dentro de nós...

 

Bjobjo,

Bella

 


Confira Nossos Produtos